CULTURISMO CLÁSSICO

Esta é uma versão do culturismo para aqueles atletas (masculinos) que não querem desenvolver seus músculos em seu “extremo” potencial, mas preferem um físico “clássico” mais leve. Para que os atletas possuam chances iguais em competição, o peso corporal é limitado de acordo com sua estatura, seguindo uma fórmula especial da IFBB para cada categoria. Assim o volume de massa muscular é limitado e, especial atenção é dada a aparência geral do físico, proporções corporais e linhas, forma muscular e condição (densidade, nível de gordura corporal, definição e detalhes)

 

ARTIGO 42 

GERAL 42.1 O Culturismo Clássico Masculino foi oficialmente reconhecido como uma nova disciplina esportiva pelo Conselho Executivo da IFBB e Congresso da IFBB em 27 de Novembro de 2005 (Shangai, China). O Culturismo Clássico tem a finalidade de atender a crescente demanda mundial para competições para homens que preferem, ao contrário dos culturistas atuais, desenvolver menos massa muscular, com um físico atlético e esteticamente agradável.

 

ARTIGO 43 – 

CATEGORIAS 43.1

Culturismo Clássico Junior:

De 16 a 23 anos de idade

Culturismo Clássico Sênior: Tabela de peso no final da página.

1. Até e incluindo 168 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 0

2. Até e incluindo 171 cm Peso Máx (kg) = (Altura - 100) + 2

3. Até 175 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 4

4. Até 180 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 7

5. Acima 180 cm Peso (kg) = (Altura - 100) + 9

Nota 1: Para competidores com a estatura acima de 190 cm, a seguinte fórmula será utilizada: Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 11

Nota 2: Para competidores com a estatura acima de 198 cm, a seguinte fórmula será utilizada: Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 13

Nota 3: Todo os competidores mencionados acima participaram da categoria “acima de 180 cm”

Culturismo Clássico Master:

De 40 a 44 anos de idade.

De 45 a 49 anos de idade.

Acima de 50 anos de idade.

43.2 No culturismo clássico júnior há uma categoria aberta, com as seguintes limitações de peso(vide tabela final da página):

 

Até e incluindo 168 cm Peso Máx (kg) = (Altura - 100) + 0

Até e incluindo 171 cm Peso Máx (kg) = (Altura - 100) + 1

Até e incluindo 175 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 2

Até e incluindo 180 cm Peso Máx (kg) = (Altura - 100) + 4

Até e incluindo 190 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 5

Até e incluindo 198 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 6 

Acima de 198 cm Peso Máx. (kg) = (Altura - 100) + 7

 

ARTIGO 44 – RODADAS 44.1 Excluindo a Rodada Eliminatória, o Culturismo Clássico Masculino consiste das seguintes 3 categorias:

 

1. Prévia: Rodada 1 – Quartos-de-volta e Poses Compulsórias.

2. Finais: Rodada 2 – Poses Compulsórias e Posedown.

3. Finais: Rodada 3 – Rotina de Poses.

 

 ARTIGO 45 – PRÉVIA: RODADA ELIMINATÓRIA

 

45.1 Uma Rodada Eliminatória será realizada quando houver mais de 15 competidores em uma categoria e será realizada como segue, sob a direção do Chefe de Árbitros ou Diretor de Palco:

1. Todos os competidores são levados ao palco, em fila única e em ordem numérica.

2. A fila será divida em dois grupos de mesmo tamanho e posicionado no palco de modo que um grupo permaneça a esquerda do palco; e o outro grupo à direita do palco. A parte central do palco permanecerá livre para propósitos de comparações.

3. Em ordem numérica, e em grupos com no máximo cinco competidores por vez, cada grupo será direcionado ao centro do palco para realizar as seguintes poses compulsórias: a. Duplo Bíceps Frontal; b. Peito de Lado; c. Duplo Bíceps de Costas; d. Abdominais e Coxa;

4. Ao final das Poses Compulsórias, a fila única é reformulada, em ordem numérica, antes de realizar a saída de palco.

 

ARTIGO 46 – PRÉVIA: PONTUAÇÃO DA RODADA ELIMINATÓRIA

 

46.1 A pontuação da Rodada Eliminatória será realizada da seguinte maneira:

1. Se houver mais do que 21 competidores, os árbitros deverão selecionar 15 melhores competidores colocando um “X” ao lado de seus números.

2. Se houver entre 16 e 21 competidores, os árbitros deverão eliminar de 1 a 6 competidores colocando um “X” ao lado de seus números.

3. Apenas 15 competidores avançaram para a Rodada 1.

4. Os árbitros utilizarão o Formulário #1; os Estatísticos utilizarão o Formulário #2.

 

ARTIGO 47 – PRÉVIA: VESTIMENTA PARA A RODADA 1 (QUARTOS-DE-VOLTA E POSES COMPULSÓRIAS)

 

47.1 A vestimenta para a Rodada 1 é a sunga, e deve seguir os seguintes critérios:

1. Estilo liso. 2. Cor livre, porém única. 3. Fabricada em tecido (não plastificada, emborrachada, ou materiais similares) 4. Materiais sem brilho ou com brilho. 5. Sem ornamentações, acessórios, rendas e ou bordados. 6. Com pelo menos 1 cm de altura nas laterais e cobrindo no mínimo metade dos glúteos máximos e toda a área frontal. 7. Sem calçados. 8. Sem jóias ou outros acessórios, exceto alianças de casamento.

 

ARTIGO 48 – PRÉVIA: APRESENTAÇÃO DA RODADA 1 (QUARTOS-DE-VOLTA E POSES COMPULSÓRIAS)

 

48.1 A Rodada 1 é realizada quando houver mais de 6 competidores em uma categoria e será realizada da seguinte maneira, sob sob a direção do Chefe de Árbitros ou Diretor de Palco:

1. Todos os competidores são chamados ao palco, em fila única e em ordem numérica.

2. A fila será divida em dois grupos de mesmo tamanho e posicionado o palco de modo que um grupo permaneça a esquerda do palco; e o outro grupo à direita do palco. A parte central do palco permanecerá livre para propósitos de comparações.

3. Em ordem numérica, e em grupos com no máximo seis competidores por vez, cada grupo será direcionado ao centro do palco para realizar os seguintes Quartos-de-volta e Poses Compulsórias:

 

a. Quarto-de-Volta para Direita.

b. Quarto-de-Volta de Costas

c. Quarto-de-Volta para Direita.

d. Quarto-de-Volta de Frente.

e. Duplo Bíceps de Costas.

f. Peito de Lado.

g. Duplo Bíceps de Costas.

h. Abdominais e Coxa.

 

4. Este grupo inicial de competidores, e a realização dos Quartos-de-volta e as quatro Poses Compulsórias, tem a finalidade de ajudar os árbitros a determinar quais competidores participarão das comparações das Poses Compulsórias.

5. Neste momento os árbitros podem solicitar comparações individuais nas Poses Compulsórias para o Chefe de Árbitros da IFBB e o Diretor de Palco. No mínimo três atletas devem ser comparados ao mesmo tempo. O Chefe de Árbitros da IFBB ou o Diretor de Palco tem o direito de descartar ou emendar uma solicitação individual para comparações se desejado.

6. Todas as comparações individuais serão realizadas no centro do palco e em ordem, da esquerda para a direita, como exigido pelo árbitro.

7. O número total de comparações será decidido pelo Chefe de Árbitros da IFBB ou pelo Diretor de Palco.

8- Todos os competidores passarão por pelo menos uma comparação.

9. Ao final da última comparação, a fila única é reconstituída, em ordem numérica, antes de realizar a saída de palco.

10. As sete Poses Compulsórias são as seguintes:

a. Duplo Bíceps Frontal.

b. Expansão de Dorsais Frontal.

c. Peito de Lado.

d. Duplo Bíceps de Costas.

e. Expansão de Dorsais de Costas.

f. Tríceps de Lado.

g. Abdominais e Coxa.

 

ARTIGO 49 – PRÉVIA: PONTUAÇÃO DA RODADA 1 (QUARTOS-DE-VOLTA E POSES COMPULSÓRIAS)

 

49.1 A pontuação da Rodada 1 é realizada da seguinte maneira:

1. Cada árbitro concede uma colocação individual para cada competidor, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma colocação.

2. Com nove árbitros, as duas colocações mais altas e as duas colocações mais baixas serão descartadas. As colocações remanescentes serão somadas para gerar uma “Pontuação Parcial da Rodada 1” e uma “Classificação da Rodada 1”

3.Empates na “Pontuação Parcial da Rodada 1” serão desfeitos utilizando-se o Método de Classificação Relativa.

4. Os árbitros utilizarão o Formulário #3; e os estatísticos o Formulário #5

5. Os seis competidores melhores classificados avançarão as Finais (Rodada 2 e Rodada 3)

 

ARTIGO 50 – PRÉVIA: AVALIANDO A RODADA 1 (QUARTOS-DE-VOLTA E POSES COMPULSÓRIAS)

 

50.1 A Rodada 1 é avaliada utilizando-se dos seguintes critérios:

1. O árbitro deverá avaliar primeiramente a aparência atlética masculina geral do físico. Esta avaliação deverá começar pela cabeça e estender-se para baixo, levando-se em consideração todo o físico. A avaliação, começa com a impressão geral do físico, e deve levar em consideração o cabelo e as características faciais; o desenvolvimento atlético geral da musculatura; a apresentação de um físico equilibrado e simetricamente desenvolvido; a condição e o tônus da pele; e a habilidade atlética de apresentar-se no palco com confiança.

2. Durante as comparações das Poses Compulsórias, o árbitro deve olhar primeiro para o grupo muscular primário que esta sendo apresentado. O árbitro deverá então inspecionar o físico todo, começando pela cabeça, e observar cada parte do físico numa seqüência descendente, começando com as impressões gerais, e procurar por volume muscular, desenvolvimento equilibrado, densidade muscular e definição. A observação descendente deve ocorrer na cabeça, pescoço, ombros, peito, todos os músculos dos braços, parte frontal do tronco para peitorais, união entre peitorais e deltóides, abdominais, cintura, coxas, pernas, panturrilhas e pés. O mesmo procedimento é realizado para as costas observando-se o trapézio superior e inferior, os redondos e infraespinhais, eretores da espinha, o grupo dos glúteos, a parte posterior das coxas, panturrilhas e pés. Uma avaliação detalhada de vários grupos musculares deve ser feito durante as comparações, na qual ao mesmo tempo o árbitro deve avaliar forma, densidade, e definição enquanto ainda mantém em mente o desenvolvimento geral equilibrado dos competidores. As comparações das poses compulsórias não podem ser super valorizadas já que estas comparações ajudarão o árbitro a decidir qual competidor tem o melhor físico do ponto de vista de desenvolvimento atlético equilibrado, densidade muscular e definição.

3. O físico deve ser avaliado como um tônus muscular geral, realizados através de esforços atléticos. Os grupos musculares deverão possuir uma aparência redonda e firme com uma pequena quantidade de gordura corporal.

4. A avaliação também deve levar em consideração a rigidez e o tom da pele. O tom da pele deve ser suave e de aparência saudável.

5. A avaliação do físico dos atletas pelos árbitros deve incluir uma completa apresentação do atleta, do momento que ele entra até o momento em que ele sai do palco. A todo o momento o competidor deve ser visto com ênfase em uma “condição física muscular, saudável, em um pacote completo apresentado de forma atrativa”.

 

ARTIGO 51 – FINAIS: VESTIMENTA PARA A RODADA 2 (POSES COMPULSÓRIAS E POSEDOWN)

 

51.1 A vestimenta para a Rodada 2 é a mesma da Rodada 1.

 

ARTIGO 52 – FINAIS: APRESENTAÇÃO DA RODADA 2 (POSES COMPULSÓRIAS E POSEDOWN)

 

52.1 Apresentação da Rodada 2: Os procedimentos para a Rodada 2 serão as seguintes:

1.Apenas os seis melhores competidores da Rodada 1 avançam para a Rodada 2.

2. Os seis finalistas são levados ao palco, em uma fila única e em ordem numérica. Cada competidor é chamado pelo número, nome e país.

3. Os seis competidores realizarão as sete Poses Compulsórias, como um grupo e ao mesmo tempo, no centro do palco. Após a 7ª pose, o Chefe de Árbitros reverterá a ordem dos competidores e repetirá as sete Poses Compulsórias novamente. Esta rodada será pontuada.

4. Assim que as Poses Compulsórias são encerradas, o Chefe de Árbitros da IFBB chamará para um Posedown de 60 segundos com uma música escolhida pelo Organizador. Esta parte da rodada não será pontuada.

5. Após o Posedown, os seis competidores reconstituem a fila única, em ordem numérica antes de realizar a saída do palco.

 

ARTIGO 53 – FINAIS: PONTUAÇÃO DA RODADA 2

 

53.1 Os pontos da Rodada 1 são utilizados apenas para classificar os competidores da 1ª a 15ª colocação e determinar os seis melhores competidores que avançarão para a Rodada 2 e Rodada 3. Os seis melhores competidores iniciam as finais com pontuação zerada. A pontuação da Rodada 2 é realizada da seguinte maneira:

2. Apenas as Poses Compulsórias são pontuadas; o Posedown não é pontuado.

3. Cada árbitro concede a cada competidor uma classificação individual, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma classificação.

4. Com nove árbitros, as duas classificações mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. As cinco pontuações remanescentes serão somadas e então multiplicada por 2 para produzir uma “Pontuação Parcial da Rodada 2”.

5. Os árbitros utilizam o Formulário #6; e os Estatísticos utilizam o Formulário #5.

 

ARTIGO 54 – FINAIS: AVALIAÇÃO DA RODADA 2 

 

54.1 Avaliação da Rodada 2: Os mesmos critérios utilizados na Rodada 1 serão utilizados nesta rodada. No entanto, os árbitros devem estar mais atentos porque um competidor pode apresentar uma condição diferente se comparado a Prévia. Portanto, os árbitros devem assegurar que esta rodada seja avaliada de uma “nova” perspectiva, assegurando que todos os competidores tenham recebido uma clara avaliação baseada na sua apresentação nesta rodada.

 

ARTIGO 55 – FINAIS: APRESENTAÇÃO DA RODADA 3 (ROTINA DE POSES) 

 

A Rodada 3 será realizada imediatamente a Rodada 2 (Poses Compulsórias).

55.1 A Rodada 3 será realizada sob a direção do Chefe de Árbitros da IFBB ou Diretor de Palco, da seguinte maneira: Cada competidor é chamado ao palco, individualmente e em ordem numérica, para realizar uma rotina de poses com a música de sua escolha. A duração máxima da rotina é de 60 segundos.

 

ARTIGO 56 – FINAIS: VESTIMENTA PARA A RODADA 3 (ROTINA DE POSES) 

 

56.1 A vestimenta para a Rodada 3 é sunga, e deve seguir os seguintes critérios:

1. Cor, material, e textura a escolha do competidor.

2. Sem ornamentos, acessórios, rendas ou bordados.

3. Com pelo menos 1 cm de altura nas laterais e cobrindo no mínimo metade dos glúteos máximos e toda a área frontal.

4.Sem calçados.

5. Sem jóias ou outros acessórios, exceto aliança de casamento.

6. Sem acessórios extras. 

 

ARTIGO 57 – FINAIS: PONTUAÇÃO DA RODADA 3 (ROTINA DE POSES) 

 

57.1 A pontuação da Rodada 3 é realizada da seguinte maneira:

1. Cada árbitro concede a cada competidor uma classificação individual, assegurando-se de que dois ou mais competidores não recebam a mesma classificação.

2. Os árbitros podem utilizar o Formulário #4, intitulado “Notas Pessoais dos Árbitros”, para escrever as notas sobre os atletas.

3. Com nove árbitros, as duas classificações mais altas e as duas mais baixas serão descartadas. As pontuações remanescentes serão somadas para produzir uma “Pontuação Parcial da Rodada 3”.

4. Os árbitros utilizam o Formulário #6; e os Estatísticos utilizam o Formulário #5.

5. Os empates na “Pontuação Parcial da Rodada 3” não precisam ser imediatamente desfeitos, já que a “Pontuação Parcial da Rodada 3” será somada a “Pontuação Parcial da Rodada 2” para produzir uma “Pontuação Final”. Os pontos da Prévia (Rodada 1) não são levados em consideração para as finais. Eles iniciam as finais com a pontuação zerada.

6. Se um empate ocorrer na “Pontuação Final”, o empate será desfeito utilizando-se a primeira Pontuação Parcial da rodada 2. Se um empate ainda existir, o método de “Classificação Relativa” será utilizado na Pontuação Parcial da Rodada 2.

 

ARTIGO 58 – FINAIS: AVALIANDO A RODADA 3 (ROTINA DE POSES) 

 

58.1 A Rodada 3 é avaliada utilizando-se os seguintes critérios:

1. Cada árbitro avalia a rotina de poses olhando em direção a exibição de muscularidade, definição, estilo, personalidade, coordenação atlética e performance geral. Os árbitros devem observar uma rotina polida, artística, e bem coreografada, que pode incluir qualquer número de poses; no entanto, as Poses Compulsórias devem estar incluídas. O competidor deve também incluir poses intermitentes de modo a exibir o desenvolvimento muscular do seu físico. Deitar no palco, poses “obscenas”, e puxar a vestimenta de modo a exibir o lado de dentro do quadríceps ou glúteos máximos esta proibido.

2. Os árbitros são recordados que, durante esta rodada, eles estão julgando 50% físico e 50% rotina.

 

ARTIGO 60 – CATEGORIA OVERALL E PREMIAÇÃO

 

60.1 Categoria Overall e Premiação Nos Campeonatos Mundiais de Culturismo Clássico Masculino, a Categoria Overall procederá da seguinte maneira:

1.Imediatamente após a Cerimônia de Premiação para a última categoria de estatura, os cinco vencedores serão chamados ao palco em ordem numérica e enfileirados. 2. O Chefe de Árbitros da IFBB direcionará os competidores através das sete poses compulsórios em ordem numérica e, então, na ordem inversa. Assim, o Chefe de Árbitros da IFBB chamará o Posedown de 60 segundos.

3. Os árbitros utilizarão o Formulário #6, intitulado “Classificação Individual dos Árbitros (Finais)”, para classificar os atletas de 1ª a 4ª colocação.

4. Os estatísticos, utilizando o Formulário #5, intitulado “Folha de Pontuação (Estatísticos)”, registrarão os pontos e determinarão a classificação final dos competidores. 5. O “Campeão Overall” será anunciado e a medalha de ouro e o troféu da IFBB do competidor serão entregues pelo Presidente da IFBB ou um oficial representante no campeonato. A medalha e o troféu serão fornecidos pela Federação Nacional organizadora. - Os resultados da classificação das equipes e premiação – de acordo com o Artigo 38. - Publicação dos resultados – de acordo com o Artigo 39.

Entre em contato conosco nos seguintes e-mails

Filiação, campeonatos e informações:

febrafim@hotmail.com 

Arbitragem (dúvidas e regras): diretordearbitragemifbbdf@gmail.com

Imprensa (filmagem, fotografia e entrevistas): imprensaifbbdf@gmail.com 

OU ENVIE UMA MENSAGEM

ATRAVÉS DO FORMULÁRIO ABAIXO:

  • instagram_PNG10
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon